terça-feira, 25 de maio de 2010

Saiba Mais sobre a Guiana

GUIANA

República Cooperativa da Guiana

GEOGRAFIA

Área: 215.000 km2. Localizada na costa norte da América do Sul. Uma faixa litorânea desenvolvida, com um interior subdesenvolvido e coberto por florestas.

Cerca de 90% vive no litoral.

Capital: Georgetown, 300.000. População urbana: 36%

POVOS

A importação colonial de mão-de-obra para a indústria do açúcar criou a atual diversidade racial e tensões políticas.

Do sul da Ásia: 49,4%. Predominantemente fazendeiros do subcontinente indiano.

Africanos/Euro-africanos: 42,7%. Dominantes no governo, serviço público e nas áreas urbanas.

Ameríndios: 6,8%. A maioria vive no interior escassamente habitado. Os grupos principais:

Caribes: 3,7%. 5 tribos. As maiores: Akwaio, 3.400; Patamona, 3.400; Macushi, 1.400; Waiwai, 1.000; Caribe, 520; Arecuna, 500.

Arawakes: 1,4%. 4 tribos. As maiores: Arawakans, 4.800; Wapishana, 3.700.

Outras: 1,7%

Europeus/Asiáticos: 1.1%. Portugueses, 6.000; Chineses, 5.000; Britânicos, 2.000.

ALFABETIZAÇÃO

98,6%. Línguas oficiais: Inglês; crioulo, usado por 90% da população. Total de línguas: 13. Línguas com Escrituras: IBi, 2NT, 4por, ót.e.a.

ECONOMIA

Seu suporte principal é o açúcar, o arroz, os produtos da floresta e os minerais. Um flerte de 20 anos com a economia marxista empobreceu o país, apesar do seu potencial. O padrão de vida despencou, os investimentos estrangeiros secaram e muitos daqueles que possuíam formação acadêmica deixaram o país. Desde 1992 tem havido uma pequena melhora, mas constante. IDH: 0,701; 99°/174. Dívida pública: 199% do PNB. Renda per capita: $800 (2,5% dos EUA).

POLÍTICA

Governo holandês de 1750-1814; depois governo britânico até a independência, em 1966
Ambos os partidos políticos principais foram marxistas por orientação, mas permanecem amargamente divididos em linhas raciais. Os afro-guianenses do partido PM tomaram o poder, até que foram expulsos na eleição de 1992. Ele foi substituído por um governo amplamente indo-guianense, que continuou a liberar lentamente a economia, apesar da contínua aliança do seu líder ao marxismo. As tensões raciais e confrontos continuam. Tanto a Venezuela a oeste, como o Suriname ao leste reivindicam uma grande parte da- Guiana, o que impede o seu desenvolvimento.

RELIGIÃO

O ateísmo foi promovido até 1985, com tensões consideráveis entre o governo e as igrejas principais. Um Estado secular com plena liberdade religiosa seguiu-se desde então. (CLIQUE NO TÍTULO DA POSTAGEM E VEJA TABELAS SOBRE A QUANTIDADE DE ADEPTOS,CRESCIMENTO E ETC.)

Missionários da Guiana

P,1,A 21 em 6 agências; Guiana 18.

Missionários na Guiana

P,I,A 87 em 22 agências de 10 países: EUA, 66; Canadá, 7.

RESPOSTA DE ORAÇÃO

Completa liberdade religiosa desde o enfraquecimento da retórica ateísta da década de 80.

Crescente receptividade ao Evangelho entre os indo-guianenses rurais.

Líderes cristãos e cristãos estão tendo uma maior unidade e influência sem precedentes em cada nível da sociedade.

DESAFIOS DE ORAÇÃO

1. A integridade da Guiana como Estado está ameaçada pelas demandas clamorosas da Venezuela e do Suriname sobre os 70% da área de seu território, e pelas tensões inter-raciais internas. Uma nova constituição está sendo preparada, com objetivo de proteger os direitos humanos e promover a harmonia entre as comunidades. Ore para que ambos os governos, o presente e o futuro, possam reduzir décadas de polarização da sociedade e levá-la ao que é justo para todos os seus cidadãos, e dar esperança de um futuro melhor.

2. Há testificação evangélica vital, vibrante e crescente, e os evangélicos são encontrados em todos os níveis da sociedade. As denominações Pentecostais, Carismáticas e Evangélicas, e as comunidades têm se multiplicado, principalmente a Comunidade do Evangelho Pleno nativa, assim como a AoG e Batistas. Muitos destes têm congregações multirraciais, a única ponte na sociedade dividida. Ore para que todos os crentes demonstrem o poder do Evangelho através da unidade, retidão ética e ousadia divina.

3. A maioria dos afro-guianenses é cristã, mas o nominalismo em muitas denominações é generalizado. Famílias estáveis, com pai e mãe juntos, são raras, um legado dos tempos da escravidão, e há sincretismo e crenças distantes do padrão bíblico: espiritismo e feitiçaria Obeah, Rastafariana e seitas estrangeiras. Ore por uma renovação e reavivamento que mudem vidas, e para que cada denominação seja tocada.

4. A comunidade indo-guianense tem cerca de 65% de hindus. 18% de muçulmanos e 15% de cristãos.

ORE ESPECIALMENTE:

a) Pelas muitas comunidades hindus rurais e por sua evangelização.

b) Pêlos quase 90.000 muçulmanos — divididos entre a geração mais velha, que fala urdu, e a geração mais nova, com laços com o mundo árabe e o reavivamento islâmico. Uns poucos se tornaram cristãos, e alguns agora são líderes cristãos na Guiana.

5. Os povos ameríndios são amplamente cristianizados e predominantemente católicos, mas muitos estão se tornando pentecostais através do ministério da AoG, da Igreja de Deus e da Comunidade do Evangelho Pleno. Os ministros da Igreja Wesleyana estão entre os povos patamona e akwaio. mas os resultados têm sido poucos. A UFM, que trabalha no sul entre os waiwai, macushi e wapishana, tem colhido resultados em uma igreja que cresce e que tem uma visão voltada para missões. As Escrituras estão sendo traduzidas para o wapishana e machusi pêlos obreiros da UFM, e em arawak, akwaio e Caribe pêlos tradutores da SIL. Ore pelo desenvolvimento de igrejas e lideranças maduras, que possam reter sua identidade cultural, e ainda sobreviver ao impacto da modernidade. Uma espécie de malária resistente a drogas tem se tornado um problema sério. Ore pela proteção dos obreiros cristãos e do povo.

6. O ministério entre os jovens é vital para o desenvolvimento da vida de família e estabilidade na sociedade. Esperanças para o futuro e de emprego são poucas. A AIDS é uma ameaça crescente, com 3,1% das pessoas entre 15-49 anos infectadas. A IFES tem um ministério extensivo com 8 equipes em tempo integra], e 200 grupos, com algo em torno de 40.000 jovens nos níveis básico, médio e superiores.

7. As missões cristãs causaram um impacto positivo e profundo na sociedade. O número de missionários cresceu novamente com o fim nas restrições. A maioria está envolvida na implantação de igrejas, na tradução da Bíblia, no treinamento de liderança e nos ministérios de mídia especializada. As principais missões: IMB-SBC (11 obreiros), UFM (10), BMM (8), JOCUM (5).

8. Ministérios de mídia cristã alvos de oração:

a) EHC fez duas distribuições de literatura cristã em toda a nação. A terceira já está planejada.

b) O filme JESUS é usado extensivamente em inglês e hindi, mas é necessário em crioulo.


Fonte: Intercessão Mundial - Quando nós oramos Deus trabalha - Edição Século XXI - Patrick Johnstone e Jason Mandryk

Informações e pedidos: publicacoes@mhorizontes.org.br

Fonte 2: www.senami.com.br

OBS: Para uma melhor visualização,visite o site com estas informações,para isso clique no título da postagem

Nenhum comentário:

Postar um comentário